• 12 abril, 2021

POR QUE A COVID-19 É MAIS GRAVE EM HIPERTENSOS?2 min

Em meio ao grande número de pessoas infectadas pelo vírus da Covid-19, foi observado que, em alguns grupos de pessoas, a doença se manifesta de maneira mais grave.

Notou-se que, além dos idosos, diabéticos, asmáticos e imunossuprimidos, os hipertensos também estão no grupo de risco do coronavírus. Mas por quê? Afinal, o que há nos hipertensos que faz com que estejam mais sujeitos a adquirirem a doença ou a desenvolverem numa forma mais grave?

Para o médico infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, Roberto Muniz Júnior, a definição de hipertensos como grupo de risco foi estabelecida quando evidenciado em estudos que entre as pessoas que adoeceram pela Covid-19 e buscavam atendimento, muitas delas tinham hipertensão, e que além disso, as pessoas hipertensas evoluíram de forma pior com o coronavírus.

Segundo o médico, a hipertensão é uma doença que já potencialmente modifica nossas respostas metabólicas e inflamatórias, e pode afetar o músculo cardíaco. Em um coração sobrecarregado, como no caso do paciente com hipertensão, a consequência disso pode ser uma inflamação na musculatura do coração.

Também se verificou que o vírus pode levar a uma certa anulação da ação dos medicamentos para controle da pressão arterial. Dessa forma, em alguns casos a infecção pelo covid levaria a um descontrole da hipertensão. 

Ainda não existem tratamentos específicos para o coronavírus que tenham sido aprovados. Por isso, é importante que os hipertensos continuem cuidando de sua condição, mantendo as medicações e melhorando seus hábitos de vida.

As dicas para o hipertenso se proteger da infecção e do agravamento do quadro de covid são, adotar uma dieta saudável com uma menor ingesta de sal, realizar atividades físicas, fazer o uso correto das medicações para a hipertensão, aderir ao isolamento social, utilizar máscaras, lavar as mãos após contato com objetos e pessoas e assim que for possível, se vacinar contra a Covid-19!

Vale destacar que também é importante realizar aferições periódicas da pressão para garantir que ela está controlada. Caso sua última medição de pressão tenha sido há mais de 3 meses vale a pena dar uma nova checada para se certificar que a dosagem da sua medicação antihipertensiva está adequada. 

Com tais cuidados, o hipertenso pode passar pela pandemia de uma forma mais tranquila, com menores riscos de contrair o coronavírus ou desenvolver formas mais graves da doença, além de evitar as complicações que a própria hipertensão pode trazer.

Fonte: Texto adaptado do site Vida Saudável – Einsten