• 6 janeiro, 2021

Como focar no que é realmente importante para o seu trabalho3 min

Especialista explica como “fazer menos” pode melhorar a sua produtividade, seja no trabalho ou na vida.

Quando você pensa em melhorar a produtividade (ou qualquer outro aspecto da sua vida) você pensa que é necessário fazer mais ou menos coisas? De acordo com uma especialista a resposta deveria ser “fazer menos”.

Em um artigo assinado no Harvard Business Review, Katie Northrup, autora do livro “Do Less” (Faça menos, em tradução livre) e “Money: A Love Story” (Dinheiro: uma história de amor, também em tradução livre), explica como devemos otimizar as tarefas maçantes e repetitivas, que tomam tempo e drenam a nossa energia.

“Quando você para de fazer essas coisas, você fica com um tempo mais do que suficiente para o que importa e ganha uma sensação de paz e espaço que a atividade constante tem mantido fora do seu alcance”, escreve a especialista

Certo, mas no dia a dia, com tantas tarefas para fazer, como é possível fazer menos para ter mais tempo e, de quebra, não comprometer os resultados? Identificar o que não fazer.

E para isso você precisa de um método, que Northrup compartilhou com seus leitores. “É um exercício que ajuda as pessoas as decidirem quais tarefas trazem mais valor e quais elas podem parar de fazer”, explica.

Passo 1 – Faça uma linha

Pegue uma folha de papel e trace uma linha de cima abaixo, dividindo-a em dois “hemisférios”.

Passo 2 – Qual área você quer ter melhores resultados (ou menos estresse)?

Pode ser uma área de sua vida ou do trabalho. Northrup usa como exemplo melhorar a sua capacidade como liderança.

Passo 3 – Listar as tarefas

Liste, no lado esquerdo, as tarefas ou atividades que você executa nessa área do seu trabalho ou da vida. Usando o exemplo da especialista seria participar de eventos, ler, pesquisar entre outras funções.

“Frequentemente, as coisas que achamos que ‘devemos’ fazer são simplesmente porque sempre as fizemos ou outras pessoas a nossa volta fazem e pensamos que devemos fazer também. Essa perspectiva cria estresse desnecessário quando realizamos essas tarefas com atraso, cometemos erros ou pedimos ajuda”

Passo 4 – Liste as suas vitórias

No lado direito, relacione as suas maiores vitórias na área que você escolheu. A especialista alerta que pode ser difícil identificar essas vitórias porque não somos ensinados a celebrar nossos feitos. Mas as vitórias existem. Lembre dos grandes resultados que você já obteve.

Passo 5 – Relacione tarefas com vitórias

Conecte os dois hemisférios, ligando suas maiores vitórias às atividades ou tarefas que te ajudaram a obter aquele resultado. Por exemplo, fazer uma boa pesquisa sobre determinado tema foi importante para aquela apresentação que todo mundo gostou.

Passo 6 – Circule e elimine

Marque todas as atividades ou tarefas do lado esquerdo que foram responsáveis por essas vitórias. O que não receber destaque deve receber menos foco no seu dia a dia —se possível, deixado de lado ou delegado para outra pessoa fazer.

Segundo a autora, a metodologia vale também para outras áreas da sua vida que não apenas o trabalho. Ela cita como exemplo a vontade de se conectar mais com os filhos, talvez um dos grandes dilemas dos adultos que têm filho e acham que passam tempo de menos com eles.

“Repita este exercício para quantas áreas da sua vida você gostaria de melhorar por meio da subtração. Seja implacável. E não se esqueça de considerar o que lhe traz alegria. A felicidade não apenas faz com que você seja mais produtivo, mas também é o que faz valer a pena”, diz a escritora.

FONTE: Viva a longevidade