• 12 maio, 2019

Amamentação sem problemas2 min

Pesquisa revela que uma a cada quatro mães enfrenta dificuldades no momento de amamentar.

A amamentação reforça os vínculos entre mãe e filho, nutre e protege o bebê contra infecções e é recomendada como única fonte de alimentação até os seis meses de vida. Os benefícios da amamentação são indiscutíveis, mas para colocá-la em prática por todo o período necessário é preciso estar bem informada e preparada para as dificuldades que podem aparecer.

Uma pesquisa realizada pelo Centro de Referência Estadual em Bancos de Leite Humano do Piauí revelou que uma em cada quatro mulheres enfrenta dificuldades na hora de amamentar. Os problemas mais comuns identificados foram mamas cheias demais, baixa produção de leite, fissura do bico do seio e dificuldade no posicionamento do bebê. Das 1800 mulheres avaliadas, 435 apresentaram algum problema no aleitamento.

Para evitar essas situações adversas e aumentar o conforto durante a amamentação, procure seguir as orientações do seu médico e mantenha-se informada sobre os procedimentos corretos a serem adotados durante o ato de amamentar.

Saiba posicionar o bebê de maneira correta:

O corpo do bebê deve estar voltado para a mãe e sua cabeça deve estar recostada na curva do braço dela.

A mãe precisa ajudar a criança a pegar corretamente o seio. Quando o bebê abrir bem a boca, ela deve, com um movimento rápido, aproximá-lo da mama para que ele abocanhe o máximo possível da aréola – aquela região escura do peito.

 

Para evitar rachaduras no bico do peito, é importante:

  • que o posicionamento e a pega do bebê estejam corretos
  • que os mamilos sejam mantidos secos;
  • que a parada  da mamada seja feita adequadamente, sem que haja uma interrupção brusca. Para isso, coloque seu dedo mínimo no canto da boca do bebê para que ele solte o peito.
  • dar preferência à extração manual ao retirar o leite do peito.

 

Baixa produção de leite: a sucção correta do bebê é o maior estímulo para a produção de leite. Além disso, um ambiente tranquilo, o bem-estar da mãe e a ingestão de bastante líquido, preferecialmente água, podem ajudar na produção de leite. Se o problema persistir, a mãe deve procurar auxílio médico.

FONTE: Blog Unimed – Por Redação