• 11 junho, 2020

Dia dos namorados em quarentena: veja o que brasileiros planejam comprar2 min

A quarentena forçada pelo novo coronavírus fez os planos para o Dia dos Namorados mudarem para muitos dos casais brasileiros. É o que mostra um novo estudo do Google no Brasil, obtido em primeira mão pela EXAME.

Cerca de 63% dos entrevistados mudou as comemorações que tinha planejado para a data, ou três em cada cinco pessoas, segundo a pesquisa. O Google ouviu, por meio de um questionário online, 800 brasileiros entre os dias 18 e 20 de maio.

As celebrações caseiras devem ser a regra para quem pretende comemorar. Cerca de 35% responderam que pretendem fazer algo com os parceiros em casa e 20% vão preparar um jantar.

Cancelamentos de planos para ir a restaurantes (25% dos entrevistados) ou de planos de viagens (22%) foram algumas das principais mudanças que os entrevistados apontaram que precisaram ser feitas diante do isolamento social. Outros 12% disseram que iriam adiar a celebração da data.

Na seara dos presentes, 22% disseram ter intenção de comprar algo para presentear os parceiros. O número não mudou muito em relação aos anos anteriores, afirma o Google, ficando na mesma faixa dos 20%.

Neste ano, outros 56% declararam que não iriam comprar presentes e 21% ainda não havia decidido.

Os principais tipos de produtos citados como presentes para o Dia dos Namorados são roupas, calçados e acessórios (25%), flores e cartões (24%). alimentos para as refeições (23%) e produtos de beleza e perfumaria (18%)

O Dia dos Namorados é comemorado no próximo dia 12 de junho, comemorado nesta data no Brasil por ser véspera do dia de Santo Antônio, que tem fama de “santo casamenteiro”. Em países anglo-saxões, como nos Estados Unidos e na Europa, é comum que a data seja comemorada no dia de São Valentim, em 14 de fevereiro.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) projeta que as vendas do Dia dos Namorados no comércio devem cair 33% neste mês de junho. Com isso, o prejuízo calculado pode ultrapassar R$ 19 bilhões, mesmo com reabertura de parte das atividades em algumas regiões de São Paulo.

O interesse de mais de 20% das pessoas por alimentos para as refeições, por exemplo, reflete o movimento de uma comemoração mais voltada à casa, diz o Google.

Com boa parte das compras concentradas no comércio eletrônico, o processo de presentear também sofreu algumas adaptações. Um quarto dos entrevistados disse que vai comprar produtos que sejam mais fáceis de adquirir online e quase a mesma quantidade de pessoas respondeu que pretende comprar presentes “que minimizem a necessidade de troca”.

Fonte: exame.com